Pular para o conteúdo principal

Prisão - um poema de uma amiga


Turbilhão de sentimentos
Negros no céu cinzento

Torrente de tristeza
Afogando o viver
Que já não admira a beleza

 Eu-contradição
Mar de emoção
Interior e exterior
Ser dual por imposição

Ressentimento Sufocado
Trancado com cadeado
Devido às consequências
Pés e Mãos atados

Um beco sem saída
Vivendo de aparências
Sangrando a ferida
A boca sorri
Chora o coração
O verdadeiro "eu" prisioneiro
Acorrentado pelas conveniências
Triste viver, triste lamentar...

Comentários

  1. Forte, sensibilidade a flor da pele!
    Obrigado professor por compartilhar!!

    Claudia Gomes
    turma B - manhã

    ResponderExcluir
  2. O poema Prisão me remete a Ferreira Goultar, inquietudes experimentadas em todo dia. É uma luta do ser por se libertar de si mesmo.
    Aliás outro pensador expressou suas contrariedade pessoais e experimentais quando afirmou "Quem me livrará do corpo desta morte?"
    Prof Marçal, quais são as respondas para tamanha inquietude?
    Flávio A A Costa. flavioaacosta@hotmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Conflito como elemento inerente ao convívio humano - uma reflexão baseado em experiências

RESUMO: O conflito é algo que antecede a história da humanidade. Não há como destruí-lo sem tirar algo do humano. Em si ele não tem valor negativo. Os conflitos podem ser agrupados levando em consideração seus atributos. Tais atributos nos ajudam a entender melhor a dinâmica do conflito e por conseqüência a dinâmica da solução do conflito. Ao conflito surge a possibilidade de reconstruir uma solução com a cumplicidade dos envolvidos. Envolvido esses que não são chamados nem de réu e nem de vítima, mas de envolvidos. A Justiça restaurativa vem com essa pretensão. Apesar de muito discutido, há como fazer Justiça Restaurativa em conflitos Domésticos. PALAVRAS-CHAVE: Conflito, violência doméstica, Justiça Restaurativa ABSTRACT:
Conflict is something that predates human history. There is no way to destroy it without taking something human. In itself it has no negative value. Conflicts can be grouped taking into account their attributes. These attributes help us to better understand the dynami…

Reflexão sobre a participação de familiares indiretamente envolvidos nos processos restaurativos

“Em uma tarde comum de trabalho, recebi uma visita inesperada. Chamarei essa pessoa de Lúcia. Citada em um processo restaurativo como pivô do conflito familiar entre tio e sobrinha, Lúcia estava inconformada com sua vida. Conhecia alguns sintomas da loucura. Não queria admitir, mas sabia que era uma paciente psiquiátrica. Ouvia vozes intimidadoras - Dia e noite. Passara noites em claro. Tinha uma história de compulsão e obsessão. Buscou diversas vezes atendimento junto ao Hospital da Cidade. O máximo que conseguiu foi um encaminhamento para um Posto de saúde para receber remédio: Diazepam, indicado para transtornos de ansiedade. A dose de dois meses tomava em semanas, pois não conseguia dormir. As vozes não a deixavam em paz. Em sua paranóia, todos arquitetavam contra ela. Desconfiava que tivesse um “chip” instalado em sua cabeça. Sabia que era loucura, mas era isso ou encarar que tinha problemas psiquiátricos. Lúcia Pediu que sentássemos e informou que leria um livro. Leu um capítulo…

Amor, a força que precisamos...

"Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada!"
Tomar decisões, dar conta de perder, suportar as frustrações.  Esses são desafios que enfrentamos diariamente. Até mesmo o ato de acordar consiste na tomada de decisão de continuar a vida, seja ela prazerosa ou não ( e sempre será). Por meio de "autoajuda" e de técnicas sugestivas diversas buscamos dar significado às nossas perdas e frustrações. Achamos que se "(re)significarmos" a vida teremos impulsos para avançar.( Ilusória essa palavra, porque aquilo que tem significado não precisa ser REsignificado e aquilo que não tem significado, ao ser REsignificado apenas restaura o que de fato é).
No entanto, de tao simples, a solução é "hercúlea" . Freud escreveu ao Martha Bernays, em 1882. (Carta de Sigmund Freud a Martha Bernays, 27 de Junho de 1882) que a segurança de ser amado nos torna ousados, fortes.
Atendo em meu consultórios pais e filhos que vivenciam o drama moderno de se sentirem …