Quem sou eu

Minha foto
Londrina, PR, Brazil
Mestre em Psicanálise Clínica,Professor de Psicologia, Psicanalista Clínico, Psicopedagogo , Especializando em Psicologia Jurídica.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Amor, a força que precisamos...

"Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada!"

Tomar decisões, dar conta de perder, suportar as frustrações.  Esses são desafios que enfrentamos diariamente. Até mesmo o ato de acordar consiste na tomada de decisão de continuar a vida, seja ela prazerosa ou não ( e sempre será). Por meio de "autoajuda" e de técnicas sugestivas diversas buscamos dar significado às nossas perdas e frustrações. Achamos que se "(re)significarmos" a vida teremos impulsos para avançar.( Ilusória essa palavra, porque aquilo que tem significado não precisa ser REsignificado e aquilo que não tem significado, ao ser REsignificado apenas restaura o que de fato é).

No entanto, de tao simples, a solução é "hercúlea" . Freud escreveu ao Martha Bernays, em 1882. (Carta de Sigmund Freud a Martha Bernays, 27 de Junho de 1882) que a segurança de ser amado nos torna ousados, fortes.

Atendo em meu consultórios pais e filhos que vivenciam o drama moderno de se sentirem perdidos: Filhos que não se dão conta de como podem ser aceitos por seus pais...pais que não conseguem se impor sobre a vontade perversa de seus filhos, pequenos imperadores impiedosos.  

Falta-nos perceber que estamos desaprendendo a expressarmos o que sentimos, e em nome de uma felicidade falaciosa, escondemos nosso grande vazio que tanto nos impulsionaria a viver. Desaprendemos o que é amar, por confundir essa ATITUDE com a EMOÇÃO de bem estar e completude. AMAR não é GOSTAR! Ser amado não é ser "gostado", mas ser DESEJADO. Amar é conferir IDENTIDADE e  LEGITIMIDADE. É dizer a quem se pertence, é deixar claro que  se pode contar.

Você, pai, pode contar com seu filho, mesmo que você erre, que não dê conta do que se espera de você? De ser um "erro"?  Você, filho, pode contar com seu pai e mãe mesmo que você frustre todas as expectativas geradas? Mesmo que "não preste"(palavra forte, mas que expressa a sensação de não ser amado).

Estar seguro de ser amado é estar convicto de que , mesmo não sendo perfeito, mesmo errando ( e errará), seu "status" de AMADO continuará inalterado!

Deixe isso claro para quem você ama! O "MALDIZIDO" não é DITO!


quinta-feira, 30 de junho de 2016

A tristeza - nossa amiga


Muitos confundem tristeza com depressão. "Estar bem" passou a ser ter um bom "selfie", a necessidade de se evitar aquilo que se aproxima de uma "cara triste" tornou-se imperiosa. Ninguém quer ficar com alguém de "bode". A busca de um NORMAL nos impele a repelirmos aquilo que os OUTROS acham ANORMAL.


No entanto, a tristeza faz parte das cores de nossas emoções e tem um papel fundamental em nossa dinâmica de vida. Tristeza não é depressão. Apesar de na depressão percebermos que a tristeza sombreia a vida de seus protagonistas, mas de forma inconsistente e desnecessária, a tristeza, quando adequada, tem o papel de nos trazer para dentro de nós mesmos, de nos colocar em contato com a dor da vida, de se viver, de se enfrentar as demandas do dia a dia. A tristeza é a emoção que nos mostra como a vida tem cores e nuances e pode ser modulada, reciclada. A tristeza nos lembra de que temos, como pessoas morais, que fazer escolhas e arcar com suas consequências; que temos de olhar para frente sem ignorar que fomos construídos por uma história. 

Somos pessoas desejantes,e movidas pelo DESEJO. No entanto nossos desejos poderão ser frustrados - ou não compreendidos (se é que precisam ser). Isso nos impulsionará a fugirmos de nosso mais íntimo anseios, RECALCANDO-OS. Essa negação, por certo provocará uma reação de nossas emoções, que sempre HONESTAS e COERENTES com nossos DESEJOS, lutará para nos alertar sobre nosso sofrimento real, distante daquele ditado pelo MAL-ESTAR da civilização. 

Por isso, quando a tristeza chegar, não fuja dela, mas perceba que como um bom sinalizador,ELA APENAS PEDIU QUE OLHASSE PARA DENTRO DE SI e se perguntasse: COMO VAI SUA VIDA? COMO VAI SUA CRIANÇA DESEJANTE? Não drible a sensação de angustia com fugas e distrações. Mas acolha-a como MENSAGEIRA. Como um entregador, que vem com uma missão, mas nunca com o objetivo de ficar. Infelizmente algumas pessoas acolhem seus mensageiros e não os permite irem embora. E eles não irão, até que entreguem a mensagem!

Então, se a tristeza vier, não se assuste, mas olhe para dentro de si mesmo, imaginando-se uma criança e se pergunte: Do que preciso? O que me falta? E então sacie-se, agradecendo ao mensageiro por tê-lo alertado de que seu desejo se frustrava!